O que a menina Li consegue captar por aí com a sua Sony...e mais alguns vipes e divagações!

New stuff

Escolhas

Old (but good) stuff

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009


Domingo, 2 de Dezembro de 2012

Escolhas

Porque a terra onde eu nasci - Setúbal - não é apenas e só sinónimo de desemprego. Também é uma terra de escolhas. O Hospital de São Bernardo faz 25 anos. O Hospital de São Bernardo é público e é o único a ter a possibilidade das mães terem os seus bebés dentro de água.

 

Anabela Alves é mãe de uma das 25 crianças que nasceram dentro de água no Hospital São Bernardo, a única instituição pública que aplica este método, e acredita que esta é “a forma mais natural de nascer”.

O filho de Anabela Alves nasceu em Março do ano passado e veio ao mundo numa piscina, rodeada de enfermeiros e com o pai a assistir ao parto.


“As crianças vivem durante a gestação dentro de água e nada mais natural do que nascer em ambiente aquático”, contou à agência Lusa.

Anabela Alves, 41 anos, acredita que este método traz benefícios para a mãe e para o filho, embora reconheça que nem todas conseguem chegar até ao fim.

“Só quando estamos a viver a experiência é que temos a certeza de sermos ou não capazes”, disse.

A principal diferença que sentiu entre o parto dentro de água e um outro anterior, sem água e com analgésicos, foi “o sentimento de viver o nascimento do filho em toda a sua plenitude”.

Esta enfermeira enaltece ainda o conforto que a água proporciona à mãe durante o trabalho de parto, por estar com uma parte do corpo submersa, e, acredita, para a própria criança quando nasce.

“É mais confortável e a criança, quando nasce, também está lindamente, num ambiente semelhante àquele em que viveu durante 40 ou 42 semanas, e depois fica aconchegada à mãe”, adiantou.

Enquanto profissional de saúde no Hospital São Bernardo, Anabela Alves reconhece a alegria que este método proporciona às mães cujos filhos viu nascer dentro de água.

"Ficam com uma expressão de felicidade indescritível", disse.

 

No Hospital de São Bernardo, em Setúbal, existe uma sala só para o parto dentro de água, com uma piscina que é enchida para o efeito, com uma cobertura descartável.

A equipa de enfermeiros especialistas de saúde materna e obstétrica do serviço de bloco de partos/urgência obstétrica deste hospital vai assinalar os 25 partos através deste método com uma sessão comemorativa que decorre sábado na instituição.


Notícia retirada daqui.


Fico orgulhosa da minha cidade. É aproveitar que, infelizmente, não há muitos motivos para o ficar, regra geral.


Ela é que sabe, a Li às 22:25

link do post | Diga lá de sua justiça | favorito

Who's this chick anyway?

Pesquisar

 

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Tags

todas as tags

Coisas mais lindas

Bom dia

blogs SAPO

subscrever feeds