O que a menina Li consegue captar por aí com a sua Sony...e mais alguns vipes e divagações!

New stuff

Damn!

Até tu, Brutus?!

You wouldn't!!!

Nooooooooooooo

Já chega de cartões, pode...

Bam!

I know nothing and I'm go...

É...

This.

Do Português!

Old (but good) stuff

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012

Do antigamente

Desde miúda que me lembro de aprender com o meu pai e com o meu avô Domingos (que já não cá está) dizeres do antigamente, quadras de poesia, trava línguas...até textos em prosa do livro da primeira classe o meu pai e o meu avô sabiam de cor!

Hoje não sei porquê lembrei-me disto, que o meu pai me dizia muitas vezes:

 

Cabelo branco é saudade

Da mocidade perdida

Nem sempre é da idade

São os desgostos da vida

 

Mas aprendi muitos mais, e tenho pena de não ter apontado tudo porque hoje, há muita coisa que já esqueci ou já só me lembro de partes...e fico triste. Triste porque, pelo menos o que o meu avô me passou, e eu já não lembro, vão parar por ali, ficam suspensas no tempo...

Acho que é mesmo assim, umas coisas esquecem-se, outras não nos sairão da memória nunca. E eu tenho uma memória muita badalhoca, ora vejam só, o que eu ainda me lembro do meu avô me cantar entre risos ( e eu juro que parece que o tou a ver, a rir sem parar enquanto cantava para mim):

 

A Maria Mamalhuda

Foi comprar duas camas

Uma para se deitar a ela

Outra para deitar as mamas


:)))))


O trava línguas, que ainda hoje digo a muita gente que só conhece os básico é este(e eu já o digo de trás para a frente quase, pois devo ter aprendido isto aí com uns 5 anos com o meu pai):

 

Tenho um ninho de mafagáfas

Com sete mafagafinhos

Quando a máfa gáfa a bála

Ficam todos a mafagafar

 

Agora digam lá muito depressa:P



Ela é que sabe, a Li às 03:05

link do post | Diga lá de sua justiça | favorito

2 comentários:
De Vespinha a 29 de Novembro de 2012 às 08:55
Faz-me lembrar as quadras de António Aleixo, algumas engraçadíssimas. Olha esta, que sei de cor:

Sei que pareço um ladrão
Mas há muitos que eu conheço
Que sem parecer o que são
São aquilo que eu pareço.


De Li a 29 de Novembro de 2012 às 23:23
*Childhood...sigh...:D


Comentar post

Who's this chick anyway?

Pesquisar

 

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Tags

todas as tags

Coisas mais lindas

Bom dia

blogs SAPO

subscrever feeds